sábado, outubro 23, 2004

[Concerto] "Siouxsie: Dream Show"

É complicado explicar o que leva uma pessoa a fazer 2300 kilómetros para ir ver um concerto, ou a importância que o mesmo terá para quem faz tal viagem. Por isso, não é só de música que aqui se escreve. É de paixão por ela, num sentido que se quer dúbio.
Quinze de Outubro, um fim de tarde londrino e a vista que o Royal Festival Hall oferece sobre o Tamisa. Sala cheia e impaciente por uma noite que se sabia especial. Este seria um de dois concertos em que Siouxsie interpretaria temas de toda a sua carrreira, quer como membro dos Siouxsie and The Banshees, quer como membro dos The Creatures. Não fosse já esta uma razão suficiente para tornar o concerto especial, ela estaria ainda acompanhada por Budgie (baterista), e por: (espero não esquecer ninguém): Millennia Ensemble (pequenas secções de cordas e metais), Leonard Eto (percussionista, tambores japoneses Taiko), coro feminino (duas gémeas, sério), um guitarrista/baixista, um teclista, um percussionista e um ocasional multi-intrumentista. Portanto mais de vinte pessoas em palco, com um propósito: tornar a noite verdadeiramente especial.
Músicos chegam aos poucos a um palco por iluminar. Primeiros sons reconhecíveis do último “Hái!” dos Creatures, permitindo um longo diálogo entre tambores japoneses e bateria, diálogo esse que encheu a sala por completo. E estava eu a constatar a qualidade acústica da mesma, quando por fim chega a mais desejada.
Um longo kimono acetinado, preto sobre branco. Cabelo adornado com penas vermelhas, que davam um pouco de cor à sua figura. Uma indumentária a condizer, não só com os sons mais orientais do de “Hái”, mas também com a sua elegância e sensualidade.
Os temas vão desfilando, primeiro os novos Creatures, depois os mais velhinhos Banshees. A sensação, que sempre ficaria, é que por cada um deles, dez faltariam sempre, tal é a extensão e qualidade da carreira em questão. Por isso, falar deste concerto, é falar de uma imensa satisfação por ouvir temas como “Face to Face”, ou “Obssession”, ou o surpreendente “Right Now” mas ao mesmo tempo da ausência dos outros respectivos trinta.
Para minha surpresa, soaram-me melhor as canções dos Creatures que as restantes. De facto, a percussão reforçada, puxou estes temas para opulências que as canções mais viscerais dos Banshees não o conseguiriam fazer. Exemplo claro disto, resultaria da comparação entre um “Dear Prudence” e um “Prettiest Thing”. Enquanto a primeira soa menos bem sem os ácidos característicos, já a segunda sai melhorada pela companhia sinfónica. Talvez seja eu, mas embora gostasse de ouvir o The Thorn na íntegra, ou o Fireworks, ou o Dazzle, ou tantos outros com toda aquela gente a tocar... a verdade é que os Banshees sempre foram algo de mais imediato e primário, para susterem tanto requinte em pormenores orquestrais.
Por isso quando se acaba o concerto com o “Spellbound”, admito que o “Extermination Angel” me pareceria melhor. Mas isso já são pormenores de quem se apaixonou pela música dela há muito. Coisas de quem se apaixona pela música...

 

 

 

Informação sobre o blog (para ler aquando da primeira visita a este blog)

 

Email:

 

 

(Instruções: o que é e o que é preciso fazer?)

 

Emissões:

Podcast 1

Podcast 2

Podcast 3

Podcast 4 (emissão especial)

Podcast 5

Podcast 6

Podcast 7

Podcast 8

Podcast 9

Podcast 10

Podcast 11

Podcast 12

Podcast 13

Podcast 14

Podcast 15

Podcast 16

Podcast 17

Podcast 18

Podcast 19

Podcast 20

 

 

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Fevereiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

Dezembro 2008

Fevereiro 2009

Março 2009

Abril 2009

Maio 2009

Junho 2009

Julho 2009

Agosto 2009

Outubro 2009

Novembro 2009

Dezembro 2009

Janeiro 2010

 

 

[info] Halloween Festival Party 2004

 

[Disco] Skatalites - Greetings From Skamania

 

[INFO: net] Absorb e Ishkur's Guide To Electronic ...

 

[INFO] Daddy G na série DJ Kicks

 

[banda] The Gathering: do 'metal' ao 'trip-rock'

 

[Disco mais marcante] "Hope Blister" ...smile´s o...

 

[disco mais marcante] Alpha - Come From Heaven

 

[discos mais marcantes] Três selecções

 

[DISCO: marcante] “Blue Lines” Massive Attack

 

[disco mais marcante] "Specials" The Specials

 

 

 

 

Posts referentes aos discos mais marcantes de cada redactor do "otites":

 

Juiz:

[DISCO(s): marcante(s)] “Três Selecções

 

Work Buy Consume Die:

[DISCO: marcante] “Blue Lines” Massive Attack

 

Rudi:

[disco mais marcante] "Specials" The Specials

 

Serebelo:

[Disco mais marcante] "Hope Blister" ...smile´s ok

 

Escrito:

[discos mais marcantes] Três selecções

 

Kid Cavaquinho:

[disco mais marcante] Alpha - Come From Heaven

 

CrazyMaryGold:

[discos mais marcantes] Incunabula & Amber...

 

 

Work Buy Consume Die:

 

Escrito:

Rudi:

The English Beat - Beat This
Erode - Tempo Che Non Ritorna
Dance Hall Crashers - 1989-1992 (1993)
One Step Beyond - 45 Classic Ska Hits
The Redskins - Neither Washington Nor Moscow

 

Serebelo:

Tom Zé - Imprensa Cantada

Gorillaz - Demon Days

Bloc Party - Silent Alarm

Arcade Fire - Funeral

!!! - Louden Up Now

 

Kid Cavaquinho:

Africa Funk - Vol. 1

Cubanismo! - Malembe

Gor - Crosaides

Zeca Afonso - Galinhas do mato

Rão Kyao - Porto alto

 

 

 

1 Pouco Mouco

Alta Fidelidade

A Big Black Boat

A Vítima Respira

Braindance

Bitlogger!

Caixa de Ritmos

Clube de Fans do José Cid

Crónicas da Terra

Dance Not Dance

Deep & Lounge

Easy M

Electro-Lights

Electroshocker

Error_404

Grooves Clash

Hit Da Breakz

Intervenções Sonoras

Juramento Sem Bandeira

Major Eléctrico

Mundo Urbano

Música Digital

Music Producer Center

Notas Agudas

O Puto – O Tipo – O Tóto

O Som e a Fúria

Orelha do Ano

Pautas Desafinadas

Percepções

Play On Tape

Quark! Quark!

Queridos Anos 80

R.B.S.

Rádio Tranquera

Revoluções por Minuto

Rita Carmo

Rock em Portugal

Sound + Vision

The Tracker

 

Powered by Blogger

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

[Buy Opera!]

Get Firefox!

Get Thunderbird

Last FM

ouvidos abusados