sexta-feira, julho 20, 2007

[DISCO] Burial - Ghost Hardware EP



Ghost Hardware é o novo EP de Burial – que, cá entre nós, não poderia ser batizado com um título mais adequado. Até agora ninguém conseguiu confirmar uma aparição sequer do artista, o que faz aumentar ainda mais a especulação sobre quem estaria por traz do codinome mais comentado do momento. Seria Kode 9? Ninguém pode garantir, embora Steve Goodman, o idealizador do Hyperdub, selo que lançou o produtor, ainda seja apontado como “principal suspeito”.

Com um remix recente para Jamie Woon, Burial segue causando. Talvez a cadência percussiva do seu trabalho seja um ponto de partida seguro para outras elucubrações. Como uma solitária estação de pesquisas abandonada no distante frio polar, suas produções parecem captar fluxos de texturas sonoras que condensam e se desmancham no ar, desencadeadas por uma brisa que sopra diretamente da Jamaica – puro Dub. Além do mais, elas derivam de matrizes rítmicas calcadas no UK Garage e no 2-Step, que se chocam contra nuvens carregadas de subgrave, provocando cataclismas em miniatura ao pé do ouvido.

O EP traz “Shutta”, faixa apresentada por Mary Anne Hobbs (BBC Radio 1), em Abril do ano passado. As inéditas “Ghost Hardware” e “Exit Woundz” completam o vinil. A primeira é uma difícil construção de batidas quebradas, salpicadas de granulações e lampejos. A faixa título tem uma pegada mais “dançante” – se é que Burial pode soar “dançante” em alguma pista desse planeta. Nela, súbitas descargas com muita distorção fazem a cabeça trepidar, enquanto vozes suaves se afogam num caldo sujo, poluído pela maestria e pela sensibilidade de Burial. Em “Exit Woundz”, os beats estabelecem um padrão constante, uptempo, como nas demais faixas. Mas sua tensão é acentuada por synths encardidos, que correm à espreita, em busca do próximo drop. Sem dúvida, três sons brilhantes, dignos de uma audição caprichada, deliciosamente introspectiva e capaz de despertar sensações variadas no ouvinte mais dedicado.

Ghost Hardware reafirma a paranóia sonora do seu produtor: um clima melancólico, excitante, com vocais femininos perdido entre ecos e reverberações, recortes de diálogos, palavras, sussurros, ruídos urbanos, chiados de transmissões de rádio e grave, muito grave. Não fosse uma combinação enxuta de bumbos, caixas e pratos, tudo ficaria em suspensão, como um fantasma enevoado, pouco nítido e disforme, uma assombração materializada através de samples cujas origens foram esquecidas. Burial conjura poltergeists sônicos, com poucos recursos e muita criatividade.

Publicado no Tranquera.org.

+info:
» Hyperdub

 

 

 

Informação sobre o blog (para ler aquando da primeira visita a este blog)

 

Email:

 

 

(Instruções: o que é e o que é preciso fazer?)

 

Emissões:

Podcast 1

Podcast 2

Podcast 3

Podcast 4 (emissão especial)

Podcast 5

Podcast 6

Podcast 7

Podcast 8

Podcast 9

Podcast 10

Podcast 11

Podcast 12

Podcast 13

Podcast 14

Podcast 15

Podcast 16

Podcast 17

Podcast 18

Podcast 19

Podcast 20

 

 

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Fevereiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

Dezembro 2008

Fevereiro 2009

Março 2009

Abril 2009

Maio 2009

Junho 2009

Julho 2009

Agosto 2009

Outubro 2009

Novembro 2009

Dezembro 2009

Janeiro 2010

 

 

[INFO] Bruno Belluomini no DnB Online

 

[INFO] Massive Attack em Lisboa e Porto

 

[INFO] Frankie Valli and The Four Seasons - Beggin...

 

[INFO] Festival Dance Station

 

[INFO] O regresso do "Cubo"

 

[INFO] Jim Morrison

 

[INFO] Festival Elektrocution:Ignite

 

[PODCAST] Emissão 9

 

[INFO] Sublight Records fecha portas

 

[INFO] O regresso do vinil

 

 

 

 

Posts referentes aos discos mais marcantes de cada redactor do "otites":

 

Juiz:

[DISCO(s): marcante(s)] “Três Selecções

 

Work Buy Consume Die:

[DISCO: marcante] “Blue Lines” Massive Attack

 

Rudi:

[disco mais marcante] "Specials" The Specials

 

Serebelo:

[Disco mais marcante] "Hope Blister" ...smile´s ok

 

Escrito:

[discos mais marcantes] Três selecções

 

Kid Cavaquinho:

[disco mais marcante] Alpha - Come From Heaven

 

CrazyMaryGold:

[discos mais marcantes] Incunabula & Amber...

 

 

Work Buy Consume Die:

 

Escrito:

Rudi:

The English Beat - Beat This
Erode - Tempo Che Non Ritorna
Dance Hall Crashers - 1989-1992 (1993)
One Step Beyond - 45 Classic Ska Hits
The Redskins - Neither Washington Nor Moscow

 

Serebelo:

Tom Zé - Imprensa Cantada

Gorillaz - Demon Days

Bloc Party - Silent Alarm

Arcade Fire - Funeral

!!! - Louden Up Now

 

Kid Cavaquinho:

Africa Funk - Vol. 1

Cubanismo! - Malembe

Gor - Crosaides

Zeca Afonso - Galinhas do mato

Rão Kyao - Porto alto

 

 

 

1 Pouco Mouco

Alta Fidelidade

A Big Black Boat

A Vítima Respira

Braindance

Bitlogger!

Caixa de Ritmos

Clube de Fans do José Cid

Crónicas da Terra

Dance Not Dance

Deep & Lounge

Easy M

Electro-Lights

Electroshocker

Error_404

Grooves Clash

Hit Da Breakz

Intervenções Sonoras

Juramento Sem Bandeira

Major Eléctrico

Mundo Urbano

Música Digital

Music Producer Center

Notas Agudas

O Puto – O Tipo – O Tóto

O Som e a Fúria

Orelha do Ano

Pautas Desafinadas

Percepções

Play On Tape

Quark! Quark!

Queridos Anos 80

R.B.S.

Rádio Tranquera

Revoluções por Minuto

Rita Carmo

Rock em Portugal

Sound + Vision

The Tracker

 

Powered by Blogger

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

[Buy Opera!]

Get Firefox!

Get Thunderbird

Last FM

ouvidos abusados