segunda-feira, agosto 07, 2006

[DISCO] Burial - Burial

Burial - Burial

O hype tem destas coisas: Mostra-nos o que, invisível aos olhos dos incautos, está guardado numa editora obscura. A Hyperdub, casa mãe de Kode9, tem como bandeira o dubstep, cruzamento apurado e melancólico entre o 2Step e o UK Garage juntamente com o dub e é assim baptizado pela XLR8R. Resulta um híbrido de batidas quebradas aninhadas em camadas pesarosas e escuras de sons de um cenário urbano pré/pós apocalíptico (riscar o que não interessa). O cenário urbano tem como base Londres e a neblina está presente no disco sob forma de sonoridades mais sujas com ecos que partem de alguns ruídos urbanos. Não hajam dúvidas, a cidade existe neste disco homónimo de Burial.

O anonimato de Burial alimentou a curiosidade de quem ouviu este disco. No entanto, a mente por trás deste trabalho não omitiu um facto que valoriza a realização de um trabalho musical hoje em dia; De facto, Burial trabalha apenas com um computador e software gratuito, à imagem , salvo seja, de Mylo.

Os temas incluídos em Burial são uma colecção de faixas datadas entre 2001 e 2006, mas têm uma linha comum o que permite homogeneizar o disco com uma ou duas excepções. O início, após uma introdução curta, cabe a com “Distant Lights”, um exercício belo de pesar, frieza e desespero. As linhas de baixo funcionam independentemente da parte rítmica o que quase dá a sensação de se ouvir duas músicas em simultâneo. As vocalizações – raras - são, invariavelmente, fantasmagóricas como em “Spaceape” (segundo tema) com a participação do MC Spaceape, “Gutted”, “Broken Home” (Uma faixa tremenda já editada em "South London Borough"). O ambiente dos temas neste disco citadino, é complementado com diversos efeitos sonoros o que caracterizam as músicas de uma forma diferente daquilo que falámos até agora. Por exemplo, em “Night Bus” ouvimos a chuva que juntamente com a inexistência de batida leva-nos para um campo francamente ambiental. Apesar do dubstep não ser abertamente dançável, como foi beber ao 2 Step, temos em “Southern Comfort” e “U Hurt Me” as melhores aproximações à pista de dança. O componente rítmico mais formatado e rígido aparece em “Prayer” (que nos lembra, de certa forma, “Angel” dos Massive Attack), fílmica e enevoada.

Burial é um disco muito interessante onde o obscuro mais cinematográfico e citadino se encontra com a música electrónica condimentada com sons acidentais trabalhados e com vozes atormentadas que sucumbem numa escuridão muito própria dos subúrbios londrinos.

[Burial - Burial HDBCD001, Hyperdub 2006]

+ info:
» Hyperdub

 

 

 

Informação sobre o blog (para ler aquando da primeira visita a este blog)

 

Email:

 

 

(Instruções: o que é e o que é preciso fazer?)

 

Emissões:

Podcast 1

Podcast 2

Podcast 3

Podcast 4 (emissão especial)

Podcast 5

Podcast 6

Podcast 7

Podcast 8

Podcast 9

Podcast 10

Podcast 11

Podcast 12

Podcast 13

Podcast 14

Podcast 15

Podcast 16

Podcast 17

Podcast 18

Podcast 19

Podcast 20

 

 

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Fevereiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

Dezembro 2008

Fevereiro 2009

Março 2009

Abril 2009

Maio 2009

Junho 2009

Julho 2009

Agosto 2009

Outubro 2009

Novembro 2009

Dezembro 2009

Janeiro 2010

 

 

[INFO] Autechre

 

[INFO] Nattvaktaren & Moe Lodin "Baby Lemonade"

 

[disco] Autumn "The Hating Tree"

 

[INFO] Roger Keith “Syd” Barrett

 

[INFO] Morreu Syd Barrett

 

[INFO] Squarepusher "Hello Everything"

 

[INFO] Kraftwerk e Aphex Twin

 

[DISCO] Dream Metaphor "[Contact]"

 

[NET] Vídeos

 

[INFO] Portishead e 4Hero

 

 

 

 

Posts referentes aos discos mais marcantes de cada redactor do "otites":

 

Juiz:

[DISCO(s): marcante(s)] “Três Selecções

 

Work Buy Consume Die:

[DISCO: marcante] “Blue Lines” Massive Attack

 

Rudi:

[disco mais marcante] "Specials" The Specials

 

Serebelo:

[Disco mais marcante] "Hope Blister" ...smile´s ok

 

Escrito:

[discos mais marcantes] Três selecções

 

Kid Cavaquinho:

[disco mais marcante] Alpha - Come From Heaven

 

CrazyMaryGold:

[discos mais marcantes] Incunabula & Amber...

 

 

Work Buy Consume Die:

 

Escrito:

Rudi:

The English Beat - Beat This
Erode - Tempo Che Non Ritorna
Dance Hall Crashers - 1989-1992 (1993)
One Step Beyond - 45 Classic Ska Hits
The Redskins - Neither Washington Nor Moscow

 

Serebelo:

Tom Zé - Imprensa Cantada

Gorillaz - Demon Days

Bloc Party - Silent Alarm

Arcade Fire - Funeral

!!! - Louden Up Now

 

Kid Cavaquinho:

Africa Funk - Vol. 1

Cubanismo! - Malembe

Gor - Crosaides

Zeca Afonso - Galinhas do mato

Rão Kyao - Porto alto

 

 

 

1 Pouco Mouco

Alta Fidelidade

A Big Black Boat

A Vítima Respira

Braindance

Bitlogger!

Caixa de Ritmos

Clube de Fans do José Cid

Crónicas da Terra

Dance Not Dance

Deep & Lounge

Easy M

Electro-Lights

Electroshocker

Error_404

Grooves Clash

Hit Da Breakz

Intervenções Sonoras

Juramento Sem Bandeira

Major Eléctrico

Mundo Urbano

Música Digital

Music Producer Center

Notas Agudas

O Puto – O Tipo – O Tóto

O Som e a Fúria

Orelha do Ano

Pautas Desafinadas

Percepções

Play On Tape

Quark! Quark!

Queridos Anos 80

R.B.S.

Rádio Tranquera

Revoluções por Minuto

Rita Carmo

Rock em Portugal

Sound + Vision

The Tracker

 

Powered by Blogger

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

[Buy Opera!]

Get Firefox!

Get Thunderbird

Last FM

ouvidos abusados