terça-feira, junho 12, 2007

[REPORTAGEM] Oeira Alive!07 - Dia 10



Serve este texto para dar conta do que vi e ouvi no Oeiras Alive!07; Uma reportagem incompleta (afazeres só me permitiram vêr três bandas no dia 10, além de que só tinha convite para esse mesmo dia), mas que começa já por informar sobre o que logo se soube neste último dia de festival: o Oeiras Alive!08 será uma realidade devido "à muito boa adesão do público". Uma curiosidade: Realizar-se-à de 10 a 12 de Julho, para não colidir com o Europeu de Futebol de 2008 o que o leva a entrar num concorrência com outros festivais, entre os quais o Super Bock Super Rock. Não há fome que não dê em fartura...

Comecemos pelo princípio (melhor lugar não há): Localização excelente do evento com vento fresquinho o que me fez esquecer a poeirada constante em tantos outros festivais deste género, bem como o quase exagero de roulotes de comes e bebes (com preços descabidos). Outra coisa que reparei foi na "fauna" que por lá andava: Muitos vintões (talvez por causa dos Beastie Boys) e muitos, muitos sub-18 escola Morangos com Açúcar. A Optimus, principal patrocinadora do Oeiras Alive!07, nessas coisas não vacila: Gente bonita é necessária para alegrar os eventos, ainda que estejam complentamente fora do seu habitat natural.




Em relação à música: Os Da Weasel estão a ficar como os Xutos e Pontapés - Quando se vai a um concerto desta banda sabe-se ao que se vai e nunca temos uma desilusão. Pela atitude em palco e pelo reportório que lhes permite manter séries de músicas sobejamente conhecidas pelo público, os Da Weasel conseguem manter os espectadores na mão. Assim «Re-Tratamento» foi um sucesso bem como «Tás Na Boa». Soube bem ouvir «God Bless Johnny» dedicado aos Beastie Boys. Essa cordialidade com os colegas de palco começou antes quando Matisyhau entrou em palco para improvisar um tema com os Da Weasel de forma totalmente não programada.



Dos Beastie Boys pode-se dizer muito e pouco ao mesmo tempo. Foram grandes, sem dúvida, mas deixaram um amargo de boca devido ao corte que faziam na sua viagem de temas mais "rapados" com as músicas mais instrumentais e pela falta que "Fight for your right..." fez no público. Chegou-se a pedir um 2º encore para se ouvir este tema, mas os 3 Mcs e o 1 DJ não voltaram. Ainda assim, o concerto foi muito bom devido, também, à fidelidade do público presente. Ouvi uma frase bastante esclarecedora "Estou à espera deste concerto há 31 anos" diziam alguém que aparentava os seus 30 anos.

Assim, a entrada foi esmagadora. O DJ Mix Master Mike, trajado a rigor, entra com um pequeno set de turntablism com DJ Shadow e a loucura instala-se. Depois, os três mascarados com ar mafioso e cartoonesco (fato, gravata fina e óculos escuros) rebentam com «Body Moving». Os desfilar de temas foi inconstante e contou com a apresentação de novos temas alternando os instrumentais com os vocalizados, como já disse onde «No Sleep 'Till Brooklyn» ou «Brass Monkey» foram entusiasticamente dançados.

O encore contou com o melhor momento da noite: "Intergalactic" e "Sabotage", esta última devidamente dedicada a George W. Bush (que mereceu uma enorme vaia do público presente) mais que dançadas ou ouvidas, foram celebradas, principalmente quando a certeza de que seriam os últimos temas da noite se concretizou. Ainda se ouviu muitas vozes a cantar "Fight for your right..." quase como a dar o tom, mas a banda nova-iorquina preferiu "acabar em alta".

Para finalizar a noite, já na tenda, os Buraka Som Sistema (que irão participar no Festival de Glastonbury) actuaram para um público que enchia o recinto e que estava disposto a ouvir 3 MCs que parecendo que estavam sós em palco falavam todos ao mesmo tempo bem ao contrário dos diálogos de Mike D, Adrock e MCA que pareciam retirados de um filme de Woody Allen não faltando nem o sotaque. Som demasiadamente alto (ao contrário do do palco principal) e actuação algo confusa não deixaram encerrar este Oeiras Alive!07 em grande. No entanto, a imagem que tenho de quem lá esteve a "levantar o pé do chão" é a contrária, mas claro, estar a ouvir "1, 2, 3 eeeee Filhos da Puta!" durante 5 minutos não agrada a toda a gente.

Para finalizar, deixo uma frase emblemática que ouvi no final do festival, já distante do recinto onde uma voz masculina e jovem afirmava com satisfação: "Neste festival fiz bués amigos Hi5". Para o ano há mais?

 

 

 

Informação sobre o blog (para ler aquando da primeira visita a este blog)

 

Email:

 

 

(Instruções: o que é e o que é preciso fazer?)

 

Emissões:

Podcast 1

Podcast 2

Podcast 3

Podcast 4 (emissão especial)

Podcast 5

Podcast 6

Podcast 7

Podcast 8

Podcast 9

Podcast 10

Podcast 11

Podcast 12

Podcast 13

Podcast 14

Podcast 15

Podcast 16

Podcast 17

Podcast 18

Podcast 19

Podcast 20

 

 

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Fevereiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

Dezembro 2008

Fevereiro 2009

Março 2009

Abril 2009

Maio 2009

Junho 2009

Julho 2009

Agosto 2009

Outubro 2009

Novembro 2009

Dezembro 2009

Janeiro 2010

 

 

[INFO] Blogues que nos dão música

 

[INFO] Portishead: Finalmente o novo disco?

 

[INFO] Strictly Rhythm de volta

 

[INFO] Mailing list da FLur

 

[INFO] Festival de Viena

 

[INFO] Compilação "Falésia" e festa de lançamento

 

[INFO] Percepções: última emissão

 

[INFO] MDPArte - Nova editora em Trás-Os-Montes

 

[DISCO] Amon Tobin "The Foley Room"

 

[INFO] Lindstrøm e Prins Thomas no "Essential Mix"...

 

 

 

 

Posts referentes aos discos mais marcantes de cada redactor do "otites":

 

Juiz:

[DISCO(s): marcante(s)] “Três Selecções

 

Work Buy Consume Die:

[DISCO: marcante] “Blue Lines” Massive Attack

 

Rudi:

[disco mais marcante] "Specials" The Specials

 

Serebelo:

[Disco mais marcante] "Hope Blister" ...smile´s ok

 

Escrito:

[discos mais marcantes] Três selecções

 

Kid Cavaquinho:

[disco mais marcante] Alpha - Come From Heaven

 

CrazyMaryGold:

[discos mais marcantes] Incunabula & Amber...

 

 

Work Buy Consume Die:

 

Escrito:

Rudi:

The English Beat - Beat This
Erode - Tempo Che Non Ritorna
Dance Hall Crashers - 1989-1992 (1993)
One Step Beyond - 45 Classic Ska Hits
The Redskins - Neither Washington Nor Moscow

 

Serebelo:

Tom Zé - Imprensa Cantada

Gorillaz - Demon Days

Bloc Party - Silent Alarm

Arcade Fire - Funeral

!!! - Louden Up Now

 

Kid Cavaquinho:

Africa Funk - Vol. 1

Cubanismo! - Malembe

Gor - Crosaides

Zeca Afonso - Galinhas do mato

Rão Kyao - Porto alto

 

 

 

1 Pouco Mouco

Alta Fidelidade

A Big Black Boat

A Vítima Respira

Braindance

Bitlogger!

Caixa de Ritmos

Clube de Fans do José Cid

Crónicas da Terra

Dance Not Dance

Deep & Lounge

Easy M

Electro-Lights

Electroshocker

Error_404

Grooves Clash

Hit Da Breakz

Intervenções Sonoras

Juramento Sem Bandeira

Major Eléctrico

Mundo Urbano

Música Digital

Music Producer Center

Notas Agudas

O Puto – O Tipo – O Tóto

O Som e a Fúria

Orelha do Ano

Pautas Desafinadas

Percepções

Play On Tape

Quark! Quark!

Queridos Anos 80

R.B.S.

Rádio Tranquera

Revoluções por Minuto

Rita Carmo

Rock em Portugal

Sound + Vision

The Tracker

 

Powered by Blogger

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

[Buy Opera!]

Get Firefox!

Get Thunderbird

Last FM

ouvidos abusados