terça-feira, setembro 06, 2005

[disco] And Also The Trees "Further From the Truth"


Os britânicos And Also The Trees (AATT) são daqueles poucos grupos da velha guarda que têm uma história tão extensa, distinta, marcante e com força suficiente para chegar, em forma, aos dias de hoje. Surgiram em 1979 e contam com 10 discos de estúdio editados, incluindo o último de originais “Further From the Truth”, já de 2003.

Não sou, nem de perto (nem aspiro ainda a ser – é um processo que levará muito tempo e dedicação, que não posso dispensar presentemente), um especialista sobre a banda (de culto, que não haja qualquer dúvida), e os motivos que me levam a escrever sobre ela aqui são, neste momento, única e exclusivamente o turbilhão de emoções que este disco me provocou, aliado também, e é importante, à maneira sensível como mo foi dado a conhecer. Foi um dos discos que me arrasou este Verão (falarei de outros noutra oportunidade).

Segundo as pesquisas que tenho feito, alguns pontos são tão convergentes que se tornam importantes de assinalar: este não é, supostamente, o disco certo para alguém se “iniciar” à banda; é um álbum que surge após 5 anos sem registos, nos quais se especulou sobre o fim dos AATT e traz grandes diferenças relativamente aos trabalhos anteriores.

Further From the Truth” é um disco extremamente subtil, em que somos arrastados numa espécie de ritmo com altos e baixos nervosos, como se de ondas do oceano se tratasse. Mas não se apoquentem os que costumam enjoar no alto mar: a sequência é tão nervosa e sombria, que a haver espaço para náuseas será mais por motivos poéticos e românticos, que em casos extremos pode levar a isso mesmo.
Embora com detalhes completamente doentios, acaba por ser um álbum calmo e nostálgico, apenas perturbado por alguns rasgos mais vigorosos e neuróticos da guitarra, embalada pelo baixo ritmado, bateria (muitas vezes) fantasmagórica e uma voz quase sempre aflita. Que outra mistura nos poderá arrastar tão cá para baixo numa suavidade atmosférica própria de uma preciosidade difícil de atingir?

Parece exagero, e até pode não entrar à primeira (tal é a subtileza emocionante), mas quando se foge de faixas como “The man who ran away”, ou se entra em “In my house”, se chora “The willow”, nos libertamos de “The untangled man” e, acima de tudo, quando ficamos sem resposta em “The reply”, percebemos que muito pouco haverá acrescentar a esta obra soberba e muito muito aconselhável.

É muito importante saber que... um pouco só deste feitiço pode envenenar-nos irremediavelmente. Eu, pelo menos, sinto-o como nunca a percorrer as minhas veias.


Site oficial de AATT: http://www.andalsothetrees.co.uk/

 

 

 

Informação sobre o blog (para ler aquando da primeira visita a este blog)

 

Email:

 

 

(Instruções: o que é e o que é preciso fazer?)

 

Emissões:

Podcast 1

Podcast 2

Podcast 3

Podcast 4 (emissão especial)

Podcast 5

Podcast 6

Podcast 7

Podcast 8

Podcast 9

Podcast 10

Podcast 11

Podcast 12

Podcast 13

Podcast 14

Podcast 15

Podcast 16

Podcast 17

Podcast 18

Podcast 19

Podcast 20

 

 

Outubro 2004

Novembro 2004

Dezembro 2004

Janeiro 2005

Fevereiro 2005

Março 2005

Abril 2005

Maio 2005

Junho 2005

Julho 2005

Agosto 2005

Setembro 2005

Outubro 2005

Novembro 2005

Dezembro 2005

Janeiro 2006

Fevereiro 2006

Março 2006

Abril 2006

Maio 2006

Junho 2006

Julho 2006

Agosto 2006

Setembro 2006

Outubro 2006

Novembro 2006

Dezembro 2006

Janeiro 2007

Fevereiro 2007

Março 2007

Abril 2007

Maio 2007

Junho 2007

Julho 2007

Agosto 2007

Setembro 2007

Outubro 2007

Novembro 2007

Dezembro 2007

Janeiro 2008

Fevereiro 2008

Março 2008

Abril 2008

Maio 2008

Junho 2008

Julho 2008

Agosto 2008

Setembro 2008

Outubro 2008

Novembro 2008

Dezembro 2008

Fevereiro 2009

Março 2009

Abril 2009

Maio 2009

Junho 2009

Julho 2009

Agosto 2009

Outubro 2009

Novembro 2009

Dezembro 2009

Janeiro 2010

 

 

[Info] Curtas II

 

[Info] Curtas

 

[INFO] Boards of Canada "The Campfire Headphase"

 

[disco] Garden of Delight "Lutherion I"

 

[info] Depeche Mode: "Precious"

 

[Info] Duzentos e Trinta e Um Discos

 

[Disco] Mísia "Drama Box"

 

[INFO] Stereo MC's

 

[disco] Daemonia Nymphe "Eponymous"

 

[Disco] Royksopp "The Understanding"

 

 

 

 

Posts referentes aos discos mais marcantes de cada redactor do "otites":

 

Juiz:

[DISCO(s): marcante(s)] “Três Selecções

 

Work Buy Consume Die:

[DISCO: marcante] “Blue Lines” Massive Attack

 

Rudi:

[disco mais marcante] "Specials" The Specials

 

Serebelo:

[Disco mais marcante] "Hope Blister" ...smile´s ok

 

Escrito:

[discos mais marcantes] Três selecções

 

Kid Cavaquinho:

[disco mais marcante] Alpha - Come From Heaven

 

CrazyMaryGold:

[discos mais marcantes] Incunabula & Amber...

 

 

Work Buy Consume Die:

 

Escrito:

Rudi:

The English Beat - Beat This
Erode - Tempo Che Non Ritorna
Dance Hall Crashers - 1989-1992 (1993)
One Step Beyond - 45 Classic Ska Hits
The Redskins - Neither Washington Nor Moscow

 

Serebelo:

Tom Zé - Imprensa Cantada

Gorillaz - Demon Days

Bloc Party - Silent Alarm

Arcade Fire - Funeral

!!! - Louden Up Now

 

Kid Cavaquinho:

Africa Funk - Vol. 1

Cubanismo! - Malembe

Gor - Crosaides

Zeca Afonso - Galinhas do mato

Rão Kyao - Porto alto

 

 

 

1 Pouco Mouco

Alta Fidelidade

A Big Black Boat

A Vítima Respira

Braindance

Bitlogger!

Caixa de Ritmos

Clube de Fans do José Cid

Crónicas da Terra

Dance Not Dance

Deep & Lounge

Easy M

Electro-Lights

Electroshocker

Error_404

Grooves Clash

Hit Da Breakz

Intervenções Sonoras

Juramento Sem Bandeira

Major Eléctrico

Mundo Urbano

Música Digital

Music Producer Center

Notas Agudas

O Puto – O Tipo – O Tóto

O Som e a Fúria

Orelha do Ano

Pautas Desafinadas

Percepções

Play On Tape

Quark! Quark!

Queridos Anos 80

R.B.S.

Rádio Tranquera

Revoluções por Minuto

Rita Carmo

Rock em Portugal

Sound + Vision

The Tracker

 

Powered by Blogger

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

[Buy Opera!]

Get Firefox!

Get Thunderbird

Last FM

ouvidos abusados